Pular para o conteúdo principal

Sobre o Espiritismo

Recentemente, por conta especialmente do sucesso de filmes como Chico Xavier - o filme e Nosso Lar, muito tem se falado do Espiritismo, religião que sigo desde que nasci.

Tem o lado bom da divulgação, mas tem também o lado ruim espalhado por quem nada entende da Doutrina Espírita e fala só asneira.

Alguns exemplos? A crítica pretenciosa, debochada e arrogante feita por um jornalista da VEJA do filme Nosso Lar. Usando termos como "ficção científica" ao se referir ao filme, além de erros quando, pelo jeito, queria esclarecer algo do Espiritismo, a matéria foi ridícula, o que costuma-se não esperar de uma revista tão conhecida.

Outra? O blog Mente Aberta, da revista Época, publica uma matéria falando de "onda curandeira de Chico Xavier" - aqui. Ignorância: Chico Xavier nunca foi curandeiro nem existe curandeirismo dentro do Espiritismo. Se Chico Xavier curou alguém foi através do amor, da compaixão.

E por último, ontem minha prima que tá fazendo pós-graduação comigo, contou que no CQC rolou piadinha sobre usar a pipoca que sobra no cinema pra fazer macumba. Baita ignorância: macumba não tem nada a ver com Espiritismo.

Então, resolvi colocar aqui esclarecimentos bem básicos sobre a religião espírita:

1º) Os termos "espírita" e "espiritismo" foram criados por Allan Kardec, usados e explicados pela primeira vez em O Livro dos Espíritos, que foi lançado em 1857. Diz ele que para coisas novas, as denominações precisam também ser novas. Então, duas coisas: os termos só são usados relacionados à religião que ele codificou e, segundo, se você encontrar alguma Bíblia dizendo que Moisés condena o Espiritismo - juro, já vi isso - a redação deste livro foi deturpada já que Moisés não poderia condenar o que não existia. O que ele condena, e que o Espiritismo também não apóia, é o uso desordenado e sem fundamento da comunicação com os desencarnados;

2º) E aí vamos pro segundo ponto: Nós cremos na comunicabilidade dos espíritos. Dos espíritos encarnados - nós aqui da Terra -, com os espíritos desencarnados - os que já partiram. Essa comunicação não é pra perguntar com quem vai casar, se a vida vai se acertar, etc, etc, etc. Não é consulta! Normalmente é mais um atendimento de esclarecimento aos espíritos que, já desencarnados, não têm consciência disso ou estão ainda muito magoados com encarnados que os prejudicaram de alguma forma. Tudo o que já vi em reunião mediúnica séria me faz cada vez ter mais certeza de que essa comunicação existe e poucas coisas me dão mais certeza da bondade divina para conosco;

3º) Então, se cremos nessa comunicação, cremos na imortalidade da alma. O corpo morre, o espírito volta, quantas vezes forem necessárias, para se "depurar". Por quê? Porque Deus é infinitamente bom e justo para nos deixar, apenas em uma vida, acertar ou errarmos e arcarmos com os resultados disso depois da morte - indo pro Céu ou pro Inferno. Nascendo várias vezes, nós podemos "concertar" o que fizemos de errado anteriormente;

4º) Sim, sim, sim. Cremos em Deus, cremos em Jesus. Usamos os evangelhos dos apóstolos como base para parte dos nossos estudos. Jesus deve ser o nosso modelo e guia. O que o Espiritismo nos pede é que sigamos todos os seus exemplos. Para a Doutrina Espírita, Jesus é o espírito protetor do nosso planeta - o "anjo da guarda" da Terra;

5º) Não existem rituais na religião espírita. Nenhum. Não usamos imagens, não usamos roupas especiais, não temos hierarquia de poderes... Ou seja, não temos onde usar a pipoca que sobra do cinema ;)

O post não é pra doutrinar, "arrebanhar" ou convencer ninguém. É só pra falar do eu entendo e fico grata de conhecer. Não creio que haja religiões ruins, mas sim pessoas que as deturpam. Religião é uma muleta, algo em que nos apoiarmos para vivermos melhor? Não acho mas, tentando basear minha vida no que creio e no que o Espiritismo me ensina, eu posso dizer que não conseguiria viver sem uma religião que me conforta, consola e esclarece diariamente.

Só gostaria que as pessoas calassem a boca para o que não entendem.

Comentários

  1. Sheilaaaaaaaaaaaa, vc está certissima, não carece de nem uma virgula. Olha para quem tava um pouco relapsa nos posts, vc se saiu muito bem.
    As pessoas precisam ter respeito pela religião, independente de qq coisa. E outra se quer falar , estude, procure saber o que é na real, pra não falar asneiras, e cá pra nós hein amiga, ver esses absurdos em revistas tão renomadas e na TV, eu nunca assisti CQC, e depois dessa nem quero.

    Bjus e bom findi!

    ResponderExcluir
  2. gostaria de saber mais sobre o espiritismo meu nome é loureiro e meu telrfone é 43064949 são paulo

    ResponderExcluir
  3. Oi Cris,

    Pois é, a questão primordial é mesmo respeito pelas crenças alheias, mesmo que diferentes das nossas.
    ____

    Loureiro,

    Eu sou do Paraná.

    Dá uma olhada no site da Federação Espírita do Estado de São Paulo - FEESP - e veja qual o Centro mais próximo de você, por favor.

    _____

    Beijocas, boa semana.

    ResponderExcluir
  4. Sheila, adorei ler seu post... O que mais me deixa triste é ver tanta gente que nunca estudou a Doutrina Espírita, nunca leu Kardec, Emmanuel ou André Luiz através de Chico Xavier,
    escrever sobre esse tema posando de grandes intelectuais que de tudo entendem... Parabéns! Neusa Savani, Santo André, SP

    ResponderExcluir
  5. Oi Neusa,

    Obrigada :))

    Pois é, o que mais tem é gente falando o que sequer entende! Isso me chateia também!

    Então expliquemos quando possível como e o que é o Espiritismo, né?

    Beijocas e deliciosa semana.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Você sabe o que é um "scammer"?

Eu fico tanto tempo sem escrever que, quando volto, fico com vergonha, pode?
Em minha defesa quero dizer que andei muito ocupada e sem nada de interessante pra escrever e que ando visitando os blogs que curto mas NÃO CONSIGO comentar há semanas! Sempre dá erro.
Mas, vamos ao que me motivou voltar a escrever um post. E senta confortável porque a história é longa mas muito séria e importante de ser conhecida.
Vocês já ouviram falar em scammer ou scam?
Scam, traduzindo meia-boca do original inglês, é um golpe, trambique, cambalacho. Scammer é quem o pratica. Na internet os scams mais conhecidos são aqueles golpes que com certeza vocês já conhecem de receber um email dizendo que tem um dinheiro em um banco africano e que você foi escolhido pra ficar com aqueles milhões. Já não recebeu um desses emails?
Mas existe mais um tipo de scam que tem se alastrado e que eu conheci este final de semana, da forma mais dolorosa: quase sendo vítima dele. É o scam romântico.
Se por um lado eu me enverg…

As calcinhas no varal

Hoje lavei minha roupa e, ao estendê-la no varal, fiquei chocada com a "qualidade" de boa parte das calcinhas que ali estavam.

As mulheres que têm entre 30 e 35 anos provavelmente cresceram ouvindo suas mães dizerem para cuidar com a roupa de baixo que usa porque se desmaiar na rua todos verão a calcinha velha, o sutiã com alça encardida - nem é o tema do post, mas quero avisá-las que é verdade! Um ex-colega de faculdade, bombeiro, diz que sim, eles reparam, mesmo nos momentos mais complicados de socorro, se as "moçoilas" estão com calcinha feia! - e falarão que a dona da lingerie é uma porquinha!

Daí hoje, olhando as calcinhas no varal, eu fiquei pensando que ali estavam aquelas calcinhas que normalmente eu usaria só pra dormir. Mas eu não só durmo! Ou seja, eu saí com boa parte delas!!

"Analisando" o varal, lembrei de que eu sempre tentei ser caprichosa com o que vestia por baixo da roupa. Mesmo quando era casada tentava usar lingerie arrumadinha e depois,…

25 em 2013 - Livro 5: Sua resposta vale um bilhão

Eu sinto tanto só agora escrever sobre Sua resposta vale um bilhão que li em fevereiro! Principalmente porque vou deixar muita coisa bacana do livro de fora. Mas gostei tanto que, mesmo assim, vale a pena.
Minha história com o livro é longa. Sou apaixonada pelo filme Quem quer ser um milionário - sobre o qual comentei efusivamente aqui, há 4 anos. Naquela época eu já tinha me interessado pelo livro, primeiro do autor - um diplomata indiano - mesmo correndo o risco de me decepcionar com o filme depois de lê-lo.
Namorei o livro longamente até que encontrei na Estante Virtual - um site que reúne sebos do Brasil inteiro - no comecinho do ano. Paguei R$ 4- sim, quatro reais! - por uma edição praticamente nova.
Quanto à história, muita coisa é diferente do filme - e necessário, se pensarmos na impossibilidade de adaptar um livro inteiro pra 2h de película. Escrevendo isso, o que me vem à cabeça é que, na verdade, o filme é inspirado na idéia central, do menino pobre, criado no mundo e que ganh…