Pular para o conteúdo principal

Lima, a cidade sem bueiros

Finalmente vou começar a contar da minha viagem. Aliás, D. Sandra, já tinha começado a escrever o post hoje no trabalho e parei no finalzinho. Ei-lo agora.

Todo mundo sentadinho e com tempo pra ler um monte e ver umas fotinhos?
Eu pensei em colocar tópicos no email mas, como muitas informações não serão longas, vou por texto mesmo, tá?Então, pra quem não sabe, em março saí de férias e, aproveitando uma passagem baratíssima oferecida pela Lan - cerca de R$ 1200 - fui para a Espanha e Portugal, passear, visitar primos queridos que estão por lá, descansar e passar um pouco de frio, deixando pra trás o calor infernal de verão de Foz! Na primeira parte da passagem estive com minha mãe, a Angelice - amigona -, minha tia Mirian e os filhos dela, a Carol e o Alex.

No nosso vôo para Madri, pela Lan, tínhamos conexão em Lima, o que nos obrigou - quanto sofrimento... not! - a passar uma noite e um dia na capital peruana. Há alguns meses Foz tem vôo direto para Lima. Saímos daqui de Foz - Mãinha, Angelice e eu, o resto do pessoal estava há mais tempo no Peru - às 20h30 e chegamos às 22h30 em Lima, vôo de 4h, mas Lima tem o fuso horário com diferença de 2h a menos pro Brasil.
Infelizmente não vou conseguir passar preços de quase nada de Lima porque a tia Mirian, que tem agência de viagens em Foz e trabalha principalmente com o Peru - Cinco Elementosvisitem o site! - montou um pacote com tudo incluído: hotel, transfers, city tour, almoço, etc e com um preço de família, de amigão mesmo! 
O aeroporto de Lima fica em Callao, uma outra cidade e levamos uns 30, 40 minutos até nosso hotel. 
Ficamos hospedadas no Hotel Nobility, no famoso bairro de Miraflores. Uma delícia de hotel! Quarto amplo, camas deliciosas, banheiro enorme, limpíssimo e cheio de mimos. Como tínhamos saído de Foz sem jantar, descemos pra comer e experimentamos um frango delicioso servido com salada com abacate. Gente, eu NUNCA tinha tido coragem de comer abacate em salada! Até tinha amado guacamole, mas na salada, relutava. E que arrependimento! O abacate usado é pequenininho e de uma maciez incrível! Temperado só com limão e sal, deliciosíssimo!

O café da manhã do hotel também era muito bom, com algumas peculiaridades da gastronomia peruana, como um tipo de cactus picadinho e o querido abacate. 
No dia seguinte, 8 de março, Dia Internacional da Mulher e aniversário da minha mãe, tomamos café e saímos com uma guia querida que falava um português PERFEITO, principalmente pra uma "hispano-hablante". O motorista era o mesmo do dia anterior. Andamos de van pelo centro da cidade, fomos até a Plaza de los Enamorados, na beira do Pacífico, onde vários artistas fizeram um trabalho lindo nos muros feitos com o que parece pedaços de azulejos e com pedacinhos de poemas românticos cercando o casal da escultura que está no local. 

Depois seguimos pela parte antiga da cidade e as regiões mais importantes.
Vocês sabiam que não chove em Lima? A cidade é bem seca - e fazia um calor do caramba nesse dia! - e sequer tem bueiros! As casas são todas feitas com laje, sem telhados e, as poucas casas que têm telhados são pra exibir status apenas. Qualquer garoa que cai - o que é raríssimo - causa transtornos na cidade, alagamentos, etc. Vivendo em uma cidade umidíssima, não consigo imaginar um lugar que passa ANOS sem uma simples garoinha! Muito curioso, né?
Lima é muito linda! Desde o bairro de San Isidro, chiquérrimo e uma antiga fazenda ainda coberta por velhas oliveiras, até a parte mais histórica! Adoro ir em igrejas, conventos, e andamos pela de São Francisco, que possui um ossário antiquíssimo ao qual a guia tentou muito dar um ar macabro - com insucesso: espírita não costuma ter medo dessas coisas :P
Depois de fazermos umas comprinhas de lembranças por lá - sabem como é: 4 irmãos, 2 cunhadas, 1 cunhado, 5 sobrinhos, pai, amigos queridos e/ou que sempre lembram de mim quando viajam... - saímos apressados pela Bia, nossa guia, para irmos ao restaurante do almoço, o La Rosa Náutica.

Ah, La Rosa Náutica... Tem uma foto tirada por mim mais abaixo no post mas, como o dia estava nublado na praia, vocês TÊM que entrar no site do restaurante pra ver o quanto é lindo!! Lindo, lindo, lindo! O prédio é dos anos 30 mas o restaurante começou a funcionar em 1983. É tudo tão perfeitinho, bonito, com ar de antigo, uma coisa meio Em algum lugar do passado. O restaurante mais lindo que já vi, onde já comi. A comida uma delícia, atendimento rapidinho... Tudo de bom. Não deve ser barato mas como estava incluído no pacote - entrada, prato principal, sobremesa, bebida e "bebida de saída" - brindamos ali o aniversário da minha mãe! Ah, ainda teve o maravilhoso pisco sour de aperitivo. O pisco sour é um drink preparado com pisco, aguardente de milho - aqui no sul o pessoal chama de graspa - e que lembra, meio distante, uma caipirinha. Só que no pisco sour - fala-se pisco "sauer" - vão mais ingredientes que simplesmente gelo, açúcar e limão e o negócio fica muito, mas muito bom! E olha que nem sou chegada em etílicos!!
Minha mãe ainda aproveitou para realizar o sonho de molhar os pés no Pacífico quando saímos do restaurante e depois disso foi correria: voltamos pro hotel, tomamos banho e fomos pro aeroporto porque a tia Mirian consegue ser mais neurótica com horário de viagem que eu - mesmo assim eu a amo de paixão ;)
Aí foi morgar 3h no aeroporto de Lima. A área de embarque pros vôos internacionais é enorme e novinha - aliás, como está em reforma, o aeroporto tem umas partes meio bagunçadas, mas nada que quem ande por aeroportos brasileiros não consiga tirar de letra! Infelizmente é caríssima também! Sim, eu sei: aeroportos são lugares caros. Mas me diz se não é o cúmulo dolarizar os preços de tudo e cobrar US$ 5 por uma garrafa de 500 ml de água? Imagina então o preço do resto, por esse aí!

Tirando o aeroporto, o Peru é um país barato. O jantar no hotel, por exemplo - um hotel quatro estrelas! - custou menos de R$ 10!!

Agora algumas diquinhas:
1- Particularmente acho sempre bom sair do Brasil - hahaha, a que viaja internacionalmente todo semestre! - com o dinheiro já trocado, ou seja, compramos Euros aqui em Foz ainda - outra camaradagem: um amigo, gerente de agência de câmbio, conseguiu nos vender Euros por R$ 2,35! - e levamos dólares pra trocar no aeroporto em Callao. Mas se na corrida, você ainda sair com R$ do Brasil, dentro ainda do desembarque no aeroporto tem vários kiosquinhos de casas de câmbio que trocam, inclusive, Reais ;)

2- Como dá pra imaginar pela falta de chuva, Lima é seca e, normalmente, fresquinha. Pegamos um dia excepcional de moooito calor. Vá então preparado com protetor solar e garrafinha d'água à tiracolo!

3- Vá de city tour apenas se você tiver pouquinho tempo por lá. É legal porque você vê um tiquinho de tudo, mas ruim porque não aproveita de verdade nada. Então, se for com tempo, bata perna!!

4- Sei que Machu Pichu é o maior atrativo do Peru; na própria capital muitas das lembrancinhas vendidas são da cidade andina. No entanto, reserve pelo menos 2 dias pra Lima. Vale muito a pena! Minha vontade de voltar com tempo é gigante desde o dia que saí de lá!

Seguem algumas fotos tiradas por lá:


  
Vista desde a Plaza de los Enamorados

Amarelos de Lima

Vestígios arqueológicos no meio da cidade

Plaza Mayor

Plaza Mayor

La Rosa Náutica, maravilhoso!



Pisco sour - foto retirada daqui


Meu prato
A Angelice foi de ceviche

Sobremesa

Vista de dentro do Rosa Náutica

Vista da cidade, desde a Costanera

Delicadeza  nas avenidas de Miraflores

Plaza de los enamorados

Vista do Oceano Pacífico, desde a Plaza de los Enamorados

Casa com teto em laje, telhas só servem como símbolo de status

Bom, espero que tenham gostado do post e, novamente, perdão pela demora. Logo mais, ainda essa semana, posto sobre Madri ;)

Comentários

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Ai q saudades!!! Nossa miga, lendo seu post me senti la de novo, q legal, parabéns!!! Eu quero ir de novo!!!! Lima é realmente muito legal, vale muito a pena conhecer.
    Bjo
    Angelice

    ResponderExcluir
  3. Oi miga!

    Voltaremos pra mais tempo em Lima e pra conhecermos Machu Pichu :D

    Beijão.

    ResponderExcluir
  4. Cobrei o post e demorei para comentar! Essa sandra! humm (mas li na mesmo dia! rsrsrs)

    Que gosto tem cactus? É bom? Tenho receio de provar coisas diferentes!

    Amei o restaurante La Rosa Naútica e o nome dele! A foto ficou linda! Parece que voltamos no tempo!

    E os jardins da Plaza Mayor? Belos!

    Eu também gostaria de molhar os pés em outro oceano! rsrsrs

    (Meu genro conheceu Machu Pichu no início desse ano)

    Que venha Madri! rsrsrs

    Bjs.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Você sabe o que é um "scammer"?

Eu fico tanto tempo sem escrever que, quando volto, fico com vergonha, pode?
Em minha defesa quero dizer que andei muito ocupada e sem nada de interessante pra escrever e que ando visitando os blogs que curto mas NÃO CONSIGO comentar há semanas! Sempre dá erro.
Mas, vamos ao que me motivou voltar a escrever um post. E senta confortável porque a história é longa mas muito séria e importante de ser conhecida.
Vocês já ouviram falar em scammer ou scam?
Scam, traduzindo meia-boca do original inglês, é um golpe, trambique, cambalacho. Scammer é quem o pratica. Na internet os scams mais conhecidos são aqueles golpes que com certeza vocês já conhecem de receber um email dizendo que tem um dinheiro em um banco africano e que você foi escolhido pra ficar com aqueles milhões. Já não recebeu um desses emails?
Mas existe mais um tipo de scam que tem se alastrado e que eu conheci este final de semana, da forma mais dolorosa: quase sendo vítima dele. É o scam romântico.
Se por um lado eu me enverg…

As calcinhas no varal

Hoje lavei minha roupa e, ao estendê-la no varal, fiquei chocada com a "qualidade" de boa parte das calcinhas que ali estavam.

As mulheres que têm entre 30 e 35 anos provavelmente cresceram ouvindo suas mães dizerem para cuidar com a roupa de baixo que usa porque se desmaiar na rua todos verão a calcinha velha, o sutiã com alça encardida - nem é o tema do post, mas quero avisá-las que é verdade! Um ex-colega de faculdade, bombeiro, diz que sim, eles reparam, mesmo nos momentos mais complicados de socorro, se as "moçoilas" estão com calcinha feia! - e falarão que a dona da lingerie é uma porquinha!

Daí hoje, olhando as calcinhas no varal, eu fiquei pensando que ali estavam aquelas calcinhas que normalmente eu usaria só pra dormir. Mas eu não só durmo! Ou seja, eu saí com boa parte delas!!

"Analisando" o varal, lembrei de que eu sempre tentei ser caprichosa com o que vestia por baixo da roupa. Mesmo quando era casada tentava usar lingerie arrumadinha e depois,…

25 em 2013 - Livro 5: Sua resposta vale um bilhão

Eu sinto tanto só agora escrever sobre Sua resposta vale um bilhão que li em fevereiro! Principalmente porque vou deixar muita coisa bacana do livro de fora. Mas gostei tanto que, mesmo assim, vale a pena.
Minha história com o livro é longa. Sou apaixonada pelo filme Quem quer ser um milionário - sobre o qual comentei efusivamente aqui, há 4 anos. Naquela época eu já tinha me interessado pelo livro, primeiro do autor - um diplomata indiano - mesmo correndo o risco de me decepcionar com o filme depois de lê-lo.
Namorei o livro longamente até que encontrei na Estante Virtual - um site que reúne sebos do Brasil inteiro - no comecinho do ano. Paguei R$ 4- sim, quatro reais! - por uma edição praticamente nova.
Quanto à história, muita coisa é diferente do filme - e necessário, se pensarmos na impossibilidade de adaptar um livro inteiro pra 2h de película. Escrevendo isso, o que me vem à cabeça é que, na verdade, o filme é inspirado na idéia central, do menino pobre, criado no mundo e que ganh…