Pular para o conteúdo principal

Especial Séries: Bunheads


Acho que ninguém que lê o blog sabe, mas eu fui bailarina por uma boa parte da minha infância e pré-adolescência. AMAVA balé clássico! Fiz por uns 2 anos em São Paulo, entre os 6 e 8 anos, e depois, quando nos mudamos para o sertão de Pernambuco, fiz um tempo balé clássico e o chamado jazz na época e, quando o professor de balé foi embora, segui no jazz por algum tempo, acho que até uns 11 anos. Minha coordenação motora para dança é ridícula! Eu não danço nada! Mas pra balé, no jazz, eu me saia bem. Não era a Ana Botafogo, mas, em um tempinho, quando não sabia ainda que existia um biotipo específico pra bailarina, cheguei a pensar, na minha inocência infantil, em ser bailarina.

(Pausa para uma curiosidade: quando o Viva a Noite, do Gugu, era bom e bombava nas noites de sábado, eram bailarinas na escola de dança onde estudei que dançavam por lá!)

Mas falemos de Bunheads e porque eu contei essas coisas. É que Bunheads gira em torno de balé, de uma ex-dançarina de Las Vegas, da sua sogra bailarina e agora professora de dança e de meninas que querem, em graus diferentes, serem bailarinas profissionais.

Bom, a história toda começa com Michelle, uma bailarina clássica que terminou em show de Las Vegas, casando por impulso com Hubbell, um insistente admirador que todo mês visita a cidade e a procura. Michelle se vê em um ponto onde nada parece dar certo, não gosta da vida que vem levando e Hubbell parece uma boa saída.

Ao chegarem na cidadezinha onde ele vive - Paradise - ela descobre de cara que a mãe dele vive na mesma casa que morarão e, o que é normal, fica chocada com o casamento surpresa do filho e não aceita nova nora. No primeiro do primeiro episódio acontece algo que mudará pra sempre a vida de todos.

A série é da mesma criadora de Gilmore Girls, que nunca vi mas sempre ouvi falar da fofura que era. Bunheads parece seguir a mesma linha sendo uma série terna, engraçada e muito gostosa de ver. Acho que é mega-mulherzinha com as histórias envolvendo Michelle, Fanny, sua sogra e as adolescentes alunas dela, em especial Boo, a que mais vontade tem de ser bailarina mas que não tem o corpo considerado ideal para isso.

Tô apaixonada pela série! São 45 minutos que passo sorrindo ou me emocionando e, sempre, gostando do que vejo, das tiradas de Michelle, que tem um senso de humor debochado - que eu adoro! - e os azedumes de Fanny.

Pra quem gosta de séries "fofas", vale a pena uma olhada!

Como não estreou ainda no Brasil, e pra não perder o costume, baixo da net, pelo seriesfree.biz.



Comentários

  1. Era você ou uma parente sua que dançava no queijo do Gugu, que você comentou certa vez?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. hahaha

      Não tive idade de dançar no queijo do Gugu: eram as gurias mais velhas da escola onde estudei.

      Diz que a gente se conheceu em uma suruba, que eu dançava no queijo do Gugu... Como tenta queimar meu filme! hahaha

      Beijão.

      Excluir
  2. hahahahaha...eu lembrava de vc comentar do Gugu mas não lembrava a história...rs

    ResponderExcluir
  3. Hmm is anyone else encountering problems with the pictures on this blog loading?
    I'm trying to determine if its a problem on my end or if it's the blog.
    Any feed-back would be greatly appreciated.

    Stop by my weblog How To Remove Static From Clothes
    my web page: How to get rid of static hair

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Você sabe o que é um "scammer"?

Eu fico tanto tempo sem escrever que, quando volto, fico com vergonha, pode?
Em minha defesa quero dizer que andei muito ocupada e sem nada de interessante pra escrever e que ando visitando os blogs que curto mas NÃO CONSIGO comentar há semanas! Sempre dá erro.
Mas, vamos ao que me motivou voltar a escrever um post. E senta confortável porque a história é longa mas muito séria e importante de ser conhecida.
Vocês já ouviram falar em scammer ou scam?
Scam, traduzindo meia-boca do original inglês, é um golpe, trambique, cambalacho. Scammer é quem o pratica. Na internet os scams mais conhecidos são aqueles golpes que com certeza vocês já conhecem de receber um email dizendo que tem um dinheiro em um banco africano e que você foi escolhido pra ficar com aqueles milhões. Já não recebeu um desses emails?
Mas existe mais um tipo de scam que tem se alastrado e que eu conheci este final de semana, da forma mais dolorosa: quase sendo vítima dele. É o scam romântico.
Se por um lado eu me enverg…

As calcinhas no varal

Hoje lavei minha roupa e, ao estendê-la no varal, fiquei chocada com a "qualidade" de boa parte das calcinhas que ali estavam.

As mulheres que têm entre 30 e 35 anos provavelmente cresceram ouvindo suas mães dizerem para cuidar com a roupa de baixo que usa porque se desmaiar na rua todos verão a calcinha velha, o sutiã com alça encardida - nem é o tema do post, mas quero avisá-las que é verdade! Um ex-colega de faculdade, bombeiro, diz que sim, eles reparam, mesmo nos momentos mais complicados de socorro, se as "moçoilas" estão com calcinha feia! - e falarão que a dona da lingerie é uma porquinha!

Daí hoje, olhando as calcinhas no varal, eu fiquei pensando que ali estavam aquelas calcinhas que normalmente eu usaria só pra dormir. Mas eu não só durmo! Ou seja, eu saí com boa parte delas!!

"Analisando" o varal, lembrei de que eu sempre tentei ser caprichosa com o que vestia por baixo da roupa. Mesmo quando era casada tentava usar lingerie arrumadinha e depois,…

25 em 2013 - Livro 5: Sua resposta vale um bilhão

Eu sinto tanto só agora escrever sobre Sua resposta vale um bilhão que li em fevereiro! Principalmente porque vou deixar muita coisa bacana do livro de fora. Mas gostei tanto que, mesmo assim, vale a pena.
Minha história com o livro é longa. Sou apaixonada pelo filme Quem quer ser um milionário - sobre o qual comentei efusivamente aqui, há 4 anos. Naquela época eu já tinha me interessado pelo livro, primeiro do autor - um diplomata indiano - mesmo correndo o risco de me decepcionar com o filme depois de lê-lo.
Namorei o livro longamente até que encontrei na Estante Virtual - um site que reúne sebos do Brasil inteiro - no comecinho do ano. Paguei R$ 4- sim, quatro reais! - por uma edição praticamente nova.
Quanto à história, muita coisa é diferente do filme - e necessário, se pensarmos na impossibilidade de adaptar um livro inteiro pra 2h de película. Escrevendo isso, o que me vem à cabeça é que, na verdade, o filme é inspirado na idéia central, do menino pobre, criado no mundo e que ganh…