Pular para o conteúdo principal

Especial Séries: House



Pensei e repensei muito pra falar de House porque todo mundo já ouviu falar da série que, recentemente, terminou, na sua oitava temporada.

Mas aí eu pensei nas pessoas que, como eu, já tinha ouvido falar trocentas vezes da série e nunca tinham se animado pra vê-la - meu caso. Me desanimava também começar a ver uma série que já tinha anos de episódios e, me conhecendo, eu sabia que ia ficar desesperada pra ver todos até alcançar os episódios atuais. Quando anunciaram que a série seria cancelada, resolvi começar a vê-la porque, agora sim, eu sabia quando terminaria e não precisava correr.

O que eu sempre ouvia falar é que a série era sobre um médico grosseiro, que espinafrava todo mundo ao seu redor mas era ótimo no que fazia: diagnosticar doenças que outros médicos não eram capazes de diagnosticar.

Bom, aí comecei a ver a série sobre o médico - Hugh Laurie - que trabalhava em um hospital universitário fictício em New Jersey, com uma equipe jovem, tendo um único verdadeiro amigo, o oncologista Dr. Wilson - Robert Sean Leonard, pra mim, o eterno Neil de Sociedade dos Poetas Mortos! - e uma chefe compreensiva até demais - Lisa Edelstein.

Tô na metade da quinta temporada e não é a mais empolgante de todas mas já sei de bombas que virão nos próximos episódios e que até já me fizeram chorar antecipadamente. Já vi também o episódio final da série e sei de várias coisas que acontecerão nas próximas temporadas. Mas gosto, adoro, ver a evolução dos personagens, o amadurecimento da maioria, suas histórias reveladas, suas lágrimas e sorrisos. Os casos médicos também são legais, principalmente quando os pacientes causam empatia especial nos médicos - aliás, meus mais queridos até agora são a Dra. Cameron - Jennifer Morrison, de Once upon a time, da qual falei ontem - e o querido Dr. Kutner - Kal Penn, de Nome de família, um dos meus filmes preferidos!

House é tipo Lost e Friends, daquelas séries que terminam e o povo segue adorando. Demorei pra conhecer mas tenho consciência que não é à toa que seus personagens, principalmente o protagonista, atormentado por suas dores e viciado em hidrocodona, são tão cativantes e deixaram saudades nos milhões de fãs ao redor do mundo.

P.S. 1: Quando ouvi falar a primeira vez da série tendo Hugh Laurie como protagonista eu levei um susto porque conhecia Laurie como comediante do seu tempo na Inglaterra, principalmente ao lado de Stephen Fry!


P.S. 2: Os autores da série inspiraram-se livremente em Sherlock Holmes e a gente nota isso desde os nomes de Holmes - home = house - e Wilson - Watson, ao nome de alguns personagens que aparecem ao longo da série, como o marido de uma ex-paciente chamado Moriarty - o maior inimigo de Holmes! - e em outro momento quando Wilson cita Irene Adler, nome da única mulher que conseguiu mexer com o coração de Holmes. Ou no modo como House deduz situações corriqueiras e resolve seus "casos".


P.S. 3: Hoje eu acho que House tem até um grande coração. É íngua, não demonstra seus - bons - sentimentos com frequência, mas não é má pessoa.

Comentários

  1. Many of today's younger adults reached adulthood without learning the cooking skills necessary to prepare healthy meals. You can rely on them and trust them blindly- so go for the kill … and you will soon shed off all the extra pounds and be able to show off the perfect body. How to get skinny fast is not about quick weight loss diets and your calorie count, it is about proper eating and proper exercise.

    Feel free to surf to my site; best weight loss diet

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Você sabe o que é um "scammer"?

Eu fico tanto tempo sem escrever que, quando volto, fico com vergonha, pode?
Em minha defesa quero dizer que andei muito ocupada e sem nada de interessante pra escrever e que ando visitando os blogs que curto mas NÃO CONSIGO comentar há semanas! Sempre dá erro.
Mas, vamos ao que me motivou voltar a escrever um post. E senta confortável porque a história é longa mas muito séria e importante de ser conhecida.
Vocês já ouviram falar em scammer ou scam?
Scam, traduzindo meia-boca do original inglês, é um golpe, trambique, cambalacho. Scammer é quem o pratica. Na internet os scams mais conhecidos são aqueles golpes que com certeza vocês já conhecem de receber um email dizendo que tem um dinheiro em um banco africano e que você foi escolhido pra ficar com aqueles milhões. Já não recebeu um desses emails?
Mas existe mais um tipo de scam que tem se alastrado e que eu conheci este final de semana, da forma mais dolorosa: quase sendo vítima dele. É o scam romântico.
Se por um lado eu me enverg…

As calcinhas no varal

Hoje lavei minha roupa e, ao estendê-la no varal, fiquei chocada com a "qualidade" de boa parte das calcinhas que ali estavam.

As mulheres que têm entre 30 e 35 anos provavelmente cresceram ouvindo suas mães dizerem para cuidar com a roupa de baixo que usa porque se desmaiar na rua todos verão a calcinha velha, o sutiã com alça encardida - nem é o tema do post, mas quero avisá-las que é verdade! Um ex-colega de faculdade, bombeiro, diz que sim, eles reparam, mesmo nos momentos mais complicados de socorro, se as "moçoilas" estão com calcinha feia! - e falarão que a dona da lingerie é uma porquinha!

Daí hoje, olhando as calcinhas no varal, eu fiquei pensando que ali estavam aquelas calcinhas que normalmente eu usaria só pra dormir. Mas eu não só durmo! Ou seja, eu saí com boa parte delas!!

"Analisando" o varal, lembrei de que eu sempre tentei ser caprichosa com o que vestia por baixo da roupa. Mesmo quando era casada tentava usar lingerie arrumadinha e depois,…

25 em 2013 - Livro 5: Sua resposta vale um bilhão

Eu sinto tanto só agora escrever sobre Sua resposta vale um bilhão que li em fevereiro! Principalmente porque vou deixar muita coisa bacana do livro de fora. Mas gostei tanto que, mesmo assim, vale a pena.
Minha história com o livro é longa. Sou apaixonada pelo filme Quem quer ser um milionário - sobre o qual comentei efusivamente aqui, há 4 anos. Naquela época eu já tinha me interessado pelo livro, primeiro do autor - um diplomata indiano - mesmo correndo o risco de me decepcionar com o filme depois de lê-lo.
Namorei o livro longamente até que encontrei na Estante Virtual - um site que reúne sebos do Brasil inteiro - no comecinho do ano. Paguei R$ 4- sim, quatro reais! - por uma edição praticamente nova.
Quanto à história, muita coisa é diferente do filme - e necessário, se pensarmos na impossibilidade de adaptar um livro inteiro pra 2h de película. Escrevendo isso, o que me vem à cabeça é que, na verdade, o filme é inspirado na idéia central, do menino pobre, criado no mundo e que ganh…